A Fantástica Serra do Rio do Rastro!

Localizada no sul do estado de Santa Catarina a mais de 1400 metros de altitude, a Serra do Rio do Rastro é um dos destinos mais desejado pelos motociclistas.

O visual deslumbrante da natureza e suas 284 curvas esculpidas ao longo de oito quilômetros de pura emoção, lhe renderam o título de “rodovia mais espetacular do mundo“, conforme pesquisa efetuada em 2012 por um jornal espanhol com milhares de internautas do mundo inteiro.

Para você ter uma ideia da importância deste título, confira abaixo a lista das 14 rodovias que participaram da pesquisa e a classificação geral.

#1 – Serra do Rio do Rastro – Brasil – 56.814 pontos

#2 – Ponte de Storseisundet – Noruega – 14.460 pontos

#3 – Túnel de Guoliang – China – 13.033 pontos

#4 – Los Caracoles del Paso Los Libertadores – 9.553 pontos

#5 – La Escalera del Troll – Noruega – 9.320 pontos

#6 – Rodovia da Morte – Bolívia – 9.310 pontos

#7 – Viaduto de Millau – França – 8.904 pontos

#8 – Autopista Elevada – Estados Unidos – 7.983 pontos

#9 – Corredor de Neve no Monte Tateyama – 7.850 pontos

#10 – Autopista 17 – Estados Unidos – 7.840 pontos

#11 – Paso Stelvio – Itália – 6.470 pontos

#12 – Autopista James Dalton – Alaska – 5.919 pontos

#13 – Rodovia DN7C – Romênia – 5.843 pontos

#14 – Caminho a Fairy Meadows – Paquistão – 5.823 pontos

O programa Domingo Espetacular da Rede Record exibiu uma reportagem sobre o assunto.

Existem algumas opções de roteiros para chegar até a rodovia SC-390 que atravessa a Serra do Rio do Rastro ligando as cidades de Bom Jardim da Serra até Lauro Müller.

Considerando como ponto de partida a cidade de São Paulo e destino o Mirante da Serra do Rio do Rastro em Bom Jardim da Serra, existem quatro opções principais de roteiro:

  1. Siga pela BR-116 até o acesso à BR-101 na altura de Curitiba. Siga pela BR-101 até  Tubarão e pegue o acesso à SC-390 sentido Lauro Müller e siga até Bom Jardim da Serra. Neste roteiro de 915 quilômetros será feito o trajeto de subida da Serra do Rio do Rastro.
  2. Siga pela BR-116 até o acesso à BR-101 na altura de Curitiba. Siga pela BR-101 até Palhoça e pegue o acesso à BR-282 sentido Lages. Siga pela BR-282 até Bom Retiro e pegue o acesso à SC-110 sentido Urubici. Após passar o centro de Urubici, continue pela SC-110 até o entroncamento com a SC-390 e siga sentido Bom Jardim da Serra. Este roteiro de 919 quilômetros é a melhor opção para quem pretende curtir Urubici antes de seguir para a Serra do Rio do Rastro.
  3. Siga pela BR-116 até o acesso à BR-282 na altura de Lages. Siga pela BR-282 sentido Florianópolis até Bom Retiro e pegue o acesso à SC-110 sentido a Urubici. Após passar o centro de Urubici, continue pela SC-110 até o entroncamento com a SC-390 e siga sentido Bom Jardim da Serra. Este roteiro de 955 quilômetros também é interessante para quem pretende curtir Urubici antes de seguir para a Serra do Rio do Rastro.
  4. Siga pela BR-116 até o acesso à BR-282 na altura de Lages. Siga pela BR-282 sentido Florianópolis até o acesso à SC-114 um pouco após o trecho urbano de Lages. Siga pela SC-114 até São Joaquim. Pegue o acesso à SC-390 sentido Bom Jardim da Serra. Este roteiro de 894 quilômetros é o meu preferido quando vou deixar para passar em Urubici no retorno da Serra do Rio do Rastro.

Como a diferença de quilometragem entre os roteiros sugeridos não é significativa, o ideal é escolher um roteiro para o trajeto de ida e outro roteiro para o trajeto de volta para conhecer melhor a região. Normalmente eu costumo fazer o roteiro da opção 4 no trajeto de ida e o roteiro da opção 2 no trajeto de volta.

Chegando em Bom Jardim da Serra siga direto para o Mirante da Serra do Rio do Rastro, caso você não tenha optado pela opção 1 de roteiro, para ter o primeiro contato visual com a Serra do Rio do Rastro e admirar sua grandiosidade e beleza.

Serra do Rio do Rastro - Foto do Mirante

Apesar de possuir poucas opções de hospedagem, bares e restaurantes, eu recomendo passar uma noite em Bom Jardim da Serra para facilitar a programação de um dos passeios mais incríveis da viagem: ver o dia amanhecer no Mirante da Serra do Rio do Rastro!

Os hotéis próximos ao Mirante da Serra do Rio do Rastro são os mais caros da região. No centro de Bom Jardim da Serra é possível encontrar boas opções de pousadas com preço mais acessível.

Verifique a previsão de horário para início do nascer do sol e chegue com uns trinta minutos de antecedência (de preferência enquanto estiver escuro ainda) para não perder absolutamente nada deste incrível espetáculo da natureza.

20171121_055656

20171121_060445

20171121_061212

Aproveite para descer e subir novamente a Serra do Rio do Rastro assim que o dia tiver amanhecido por completo, pois nas primeiras horas da manhã a rodovia é mais vazia e assim será possível curtir ao máximo os oito quilômetros de pura emoção e adrenalina.

Eu sempre recomendo fazer a descida e subida da Serra do Rio do Rastro, pois o visual e a experiência de pilotagem são diferentes em cada uma das situações. Quando estiver descendo a serra aproveite apenas para curtir o visual e gravar se tiver utilizando uma câmera portátil ou se tiver alguém na garupa que possa gravar com o celular. Em hipótese alguma filme segurando o celular e pilotando apenas com uma das mãos!

No trajeto de subida da serra todos os pontos mais indicados para fotografar estarão do lado direito da pista, evitando assim que seja necessário ficar cruzando a rodovia para estacionar as motos no lado contrário da pista, muitas vezes em sentido de contramão. Em uma das áreas de recuo foi construído um pequeno mirante que permite o melhor visual da serra durante o trajeto.

20171121_113401

Tome muito cuidado na hora de estacionar as motos para tirar fotografia!

  • Verifique se a moto está engatada após ser desligada e antes de descer.
  • Verifique a inclinação da moto após apoiá-la no pedal de descanso. Se a moto não estiver devidamente inclinada procure outro local ou forma de estacionar para evitar que ela tombe quando você descer ou passar algum veículo pesado pela rodovia causando tremor no asfalto.
  • Tente sempre estacionar a moto de forma a facilitar a pilotagem no momento da saída.

Uma maneira bem legal de conferir como está a visibilidade da Serra do Rio do Rastro antes de chegar no mirante é através do site https://serradoriodorastroaovivo.com.br.

Logo na primeira página é possível visualizar ao vivo as imagens de uma câmera posicionada no Mirante da Serra do Rio do Rastro e outra posicionada na Estância Pé da Serra, que é um comércio localizado mais ou menos na metade do trajeto.

Nem sempre a imagem está com uma qualidade perfeita, mas é possível conferir se o tempo está aberto ou com muita neblina. Aliás, nesta região o tempo abre e fecha a todo instante em questão de minutos. Por isso, é muito importante não ter pressa para aguardar o momento certo de contemplar o visual e pilotar pela Serra do Rio do Rastro.

Esta não é uma regra que funciona sempre, mas normalmente o tempo costuma ficar mais aberto no período da manhã. Durante o inverno é mais comum os nevoeiros a qualquer hora do dia. Os períodos do ano que eu mais gosto de ir para a Serra do Rio do Rastro considerando tempo, temperatura e tranquilidade nas rodovias são nos meses de Abril e Maio durante o outono ou em Outubro e Novembro na primavera.

A cidade de Urubici, que fica localizada a pouco mais de 80 quilômetros do Mirante da Serra do Rio do Rastro, é parada obrigatória nesta viagem!

Existem várias opções de hospedagem para todos os gostos e bolsos em Urubici, assim como alguns bons restaurantes e bares para curtir a noite. Quando for reservar sua hospedagem, fique atento com o caminho de acesso até o local pois várias pousadas ficam em áreas rurais da cidade.

As duas principais opções de passeios de moto na região são a Serra do Corvo Branco e o Morro da Igreja. A seguir falaremos um pouco mais sobre cada uma delas.

A Serra do Corvo Branco fica a 30 quilômetros de distância do centro de Urubici seguindo pela SC-110 e SC-370. Uma parte do trajeto de aproximadamente 10 quilômetros é por estrada de terra com nível médio de dificuldade dependendo do estilo da moto e habilidade de pilotagem off road. Tal nível de dificuldade se dá por causa das “costelas de vaca”, pedras soltas, curvas fechadas e terra fofa em alguns trechos do caminho.

Se não tiver chovido recentemente e não tiver previsão de chuva no dia do passeio, é possível chegar até a Serra do Corvo Branco sem necessariamente estar pilotando uma Big Trail. Basta pilotar devagar e com muita atenção!

No caso de motos esportivas o grau de dificuldade será bem maior e com certeza irá judiar muito do piloto e da moto.

A rodovia SC-370 está sendo asfaltada no trecho entre Urubici e Braço Norte e muitas vezes a via fica interditada por conta das obras, portanto, se informe sobre as condições da rodovia antes de seguir viagem.

Toda esta dificuldade será muito bem recompensada pelo visual deslumbrante do maior corte em rocha do Brasil com quase 90 metros de altitude. Neste pequeno trecho de menos de 500 metros a rodovia é asfaltada.

Urubici - Serra do Corvo Branco

Na minha opinião não vale muito a pena continuar seguindo pela SC-370 até Braço Norte após passar pela fenda nas rochas, pois todo o restante do trajeto é em estrada de terra (exceto por uma camada precária de asfalto no trecho inicial de descida da serra numa sequência de curvas em cotovelo) e o visual, apesar de bonito, não tem nada de extraordinário. O melhor é dar meia volta e retornar para Urubici.

O Morro da Igreja está localizado a 32 quilômetros de distância do centro de Urubici seguindo pela SC-110, SC-370 e Estrada Geral do Morro da Igreja. No ponto mais alto do Morro da Igreja, a 1822 metros de altitude, se tem uma das visões mais maravilhosa das serras catarinense e da Pedra Furada, que é um dos cartões postais da região.

IMG_5587

Neste local existe uma base aérea da aeronáutica de controle do espaço aéreo. Por se tratar de uma área militar, é preciso pegar uma autorização prévia antes de subir o Morro da Igreja.

Esta autorização pode ser solicitada pessoalmente na sede do Parque Nacional de São Joaquim no centro de Urubici na Avenida Felicíssimo Rodrigues Sobrinho, 1542 ou pela internet através do site do ICMBio no endereço http://www.icmbio.gov.br/parnasaojoaquim/guia-do-visitante.html.

No caso de solicitação por internet é necessário retirar a pulseira de controle de acesso no dia do passeio na sede do Parque Nacional de São Joaquim. Como a quantidade diária de visitantes ao Morro da Igreja é limitada, eu prefiro efetuar a reserva antecipadamente para garantir a vaga.

No momento que estou escrevendo este texto, a Estrada Geral do Morro da Igreja está interditada devido a obras de recapeamento no local. Em alguns finais de semana e feriados o acesso ao Morro da Igreja está sendo liberado, porém, de forma bem reduzida em relação ao número máximo de visitantes. Não deixe de consultar o site do ICMBio para se informar sobre a situação do acesso ao Morro da Igreja antes de planejar seu passeio.

Outra opção turística muito legal em Urubici são os passeios nas cachoeiras, sendo que a Cachoeira do Avencal é a mais famosa da região. Como já era de imaginar, o acesso as cachoeiras são por estradas de terra, portanto, verifique o grau de dificuldade antes de se aventurar com sua moto. Eu particularmente prefiro contratar o passeio num veículo 4X4 em alguma agência de turismo da cidade e curtir uma experiência diferente.

Não deixe de fazer uma visita ao bar temático (aliás é um dos bares temáticos mais legais que eu já conheci em termos de decoração e criatividade) que fica no posto Ipiranga Serra Azul na Praça Caetano Vieira de Souza, 101, no centro de Urubici.

Além das diversas opções de porções, lanches e bebidas, há também uma grande variedade de souvenir com temas relacionados aos pontos turísticos da região (principalmente da Serra do Rio do Rastro e Serra do Corvo Branco) como camisetas, broches e adesivos por exemplo.

20180701_191947

Partindo de São Paulo, considere no mínimo quatro dias para uma viagem à Serra do Rio do Rastro, mas confesso que acho pouco tempo para aproveitar a viagem de forma segura e prazerosa.

Para curtir verdadeiramente uma viagem para a Serra do Rio do Rastro e gravar na memória lembranças para o resto da vida, minha recomendação é que a viagem seja feita em seis ou sete dias.

Desta forma é possível incluir no roteiro outros destinos que fazem parte dos sonhos de qualquer motociclista, como a Serra do Rastro da Serpente e Serra da Graciosa, por exemplo. De quebra ainda é possível curtir um pouco do litoral catarinense nas belíssimas praias de Florianópolis ou Balneário Camboriú, visitar a Vila Germânica em Blumenau e comer um barreado em Morretes.

O melhor é que tudo isto pode ser acrescentado no plano de viagem a partir de pequenos ajustes nos roteiros sugeridos no início desta publicação, mas estas dicas complementares eu vou guardar para uma próxima postagem! 🙂

Ficou com alguma dúvida ainda? Então mande uma mensagem que terei o maior prazer em responder.

Até a próxima!

 

Deixe uma resposta